Radar Reset: Os perigos do day trade, confusão no Pix e outras leituras

Leia também: Como não começar um programa de diversidade; No Pantanal, setor privado toma a frente; O Estado no capitalismo de 'stakeholder'; O futuro da transição energética; Cartilha de boas práticas sustentáveis em infraestrutura

 

S de ‘day trade’ 

Num mercado tomado pela febre ESG, cabe a pergunta: quais os limites da responsabilidade das instituições financeiras na relação com seus clientes? Reportagem de capa da Você S/A toca numa ferida aberta: o ‘day trade’ virou um vício e promessa enganosa de lucro fácil para milhares de brasileiros, enquanto turbina ganhos das corretoras e da bolsa. 

Confusão no Pix

E um dia depois de um ranking do Banco Central ter indicado que os grandes bancos estavam comendo poeira das fintechs no registro de chaves Pix, as redes sociais foram tomadas por clientes reclamando que instituições como Mercado Pago e Nu Bank teriam cadastrado as chaves sem a devida permissão. O movimento foi captado pelo Valor.

Como não começar um programa de diversidade

Na tentativa de tentar lidar com as questões de diversidade, muitas empresas recorrem aos (poucos) funcionários negros para pedir ajuda. Mas, para muitos deles, “a experiência de ser chamado — ou até convocado — para liderar ou participar de programas de diversidade e inclusão simplesmente pela sua raça é um ritual desconfortável”, escreve a repórter Jennifer Milles, do New York Times, que ouviu uma série de profissionais negros que foram confrontados com essa situação. 

No Pantanal, setor privado toma a frente

Um grupo de empresários, liderado por Roberto Klabin, Teresa Bracher e Mario Haberfeld, está montando um corredor privado de conservação no Pantanal, que tem potencial para se tornar um dos maiores do mundo. A intenção é criar um núcleo regional sustentável com venda de créditos de carbono, aluguel de pastagem para pecuária sustentável e ecoturismo, conta a repórter Daniela Chiaretti, no Valor

O Estado no capitalismo de ‘stakeholder’  

Num momento em que, mais do que nunca, o setor privado está preenchendo lacunas deixadas pelo governo, o professor da John F. Kennedy School of Government, de Harvard, Dani Rodrik reflete sobre o lugar da regulação do Estado no capitalismo do stakeholder. Para ele, as empresas devem complementar a regulação, mas que isso só pode acontecer se elas forem mais democráticas: “As empresas podem se tornar parceiras confiáveis do bem estar social apenas quando falarem com as vozes daqueles que têm as vidas moldadas por elas”, conclui. 

O futuro da transição energética 

Uma vez por ano, a Agência Internacional de Energia (AIE) tenta colocar alguma ordem no mundo da energia publicando cenários detalhados sobre como as próximas décadas podem se desenrolar. A Bloomberg resumiu alguns principais pontos do mais novo relatório, divulgado na terça-feira, dessa vez com mais um complicador: a covid tornou as previsões mais difíceis do que nunca 

Os prefeitos e o ESG 

Eleição municipal não tem nada a ver com ESG? Não necessariamente. Na sua coluna na Folha, o consultor Rodrigo Tavares traz quatro fontes de inspiração para os candidatos a prefeitos sobre iniciativas viabilizadas por líderes municipais mundo afora, unindo o poder público com finanças sustentáveis. 

Cartilhas ESG: para a pessoa física e para infraestrutura

Num material voltado para investidores pessoas físicas, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) preparou um manual — o primeiro de uma série — sobre finanças sustentáveis e investimentos ESG. É um material curto e introdutório, bom para quem quer começar o assunto. Num relatório feito em conjunto com a WWF, a consultoria Oliver Wywan traz as tendências e melhores práticas relativas a fatores ambientais, sociais e de governança (ESG) para investimentos em infraestrutura. O foco é nas questões climáticas e relacionadas à natureza e biodiversidade. 

Outras leituras 

  • A nova agenda de sustentabilidade do BC (Valor)
  • Risco ambiental faz Brasil receber menos recursos de estrangeiros, diz Campos Neto (Folha)
  • BNDES e famílias chegam a acordo na Klabin (Valor)
  • Acordo da J&F abre caminho para a JBS (Valor)
  • Banco Mundial ainda está investindo bilhões em combustíveis fósseis, mostra estudo (Bloomberg)
  • Investidores se rebelam contra a P&G por preocupações ambientais (FT)
  • Maior gestor de ativos do Reino Unido tem como alvo 500 empresas em desacordo com questões climáticas (Valor)
  • Como o Pix vai revolucionar as formas de doação (Uol)