Radar Reset: O plano ambiental de Biden e outras leituras

O problema dos treinamentos sobre diversidade; 'G' de BNDES; Ocaso precoce do gás natural nos EUA?; Bons ventos na Austrália; A corrida pelas pickups elétricas; e mais

 

O impacto da agenda Biden 

A duas semanas das eleições nos Estados Unidos, o Valor publicou uma reportagem destrinchando a agenda climática de Joe Biden e o que isso pode significar para o Brasil e a política externa americana. Num plano detalhado e ambicioso, o candidato democrata afirma que seu governo ‘buscará medidas fortes para brecar outros países de burlarem compromissos climáticos’ — o que deve se traduzir num outro tipo de confronto com a China, desta vez sobre as emissões de gases de efeito-estufa. 

O problema dos treinamentos sobre diversidade

Para tentar resolver o problema da subrepresentação, as empresas logo correm para fazer treinamentos sobre diversidade. Um artigo publicado pela Harvard Business Review (HBR) mostra, no entanto, que eles não só não funcionam como, com frequência, acabam reforçando o viés que estão tentando combater. Os autores — os professores de sociologia Alexandra Kalev, da Universidade de Tel Aviv, e Frank Dobbin, de Harvard — mostram o caminho das pedras, com um conjunto de medidas mais holísticas e assertivas.

‘G’ de BNDES

Dono de quase 22% das ações da JBS, o BNDES subiu o tom contra a gigante de carnes na última semana. O banco está acusando a empresa de tentar esvaziar o poder dos minoritários às vésperas de uma assembleia extraordinária de acionistas que decidirá se a JBS deve processar os irmãos Batista pelos prejuízos causados pelos crimes revelados em delação premiada, narra o Valor

Ocaso precoce do gás nos EUA?

O ocaso do gás natural — que teve uma rápida ascensão na última década — pode vir mais rápido do que se pensava nos Estados Unidos. Com a maior competitividade das energias renováveis e tecnologias como baterias e hidrogênio, aumentam as previsões de que a demanda pode estar próxima do pico, explica uma ampla reportagem da Bloomberg.

Bons ventos da Austrália

Um aumento na base de investidores com preocupações ESG está mudando o comportamento das empresas abertas na Austrália, mostra a Bloomberg. O episódio notório da demissão do CEO da Rio Tinto após a mineradora ter destruído cavernas consideradas sagradas pelos povos aborígenes é apenas uma amostra do ativismo no país. Regras específicas de governança também explicam o movimento. 

A corrida pelas pickups elétricas

Com empresas como a Tesla deixando claro a viabilidade de veículos leves movidos à energia elétrica, a indústria está se movimentando agora na direção das pickups e das caminhonetes, as preferidas dos americanos. A Barron’s fez um resumo dos principais lançamentos nesse mercado e o que isso pode significar para as montadoras. 

Outras leituras 

  • Uma nova métrica para descobrir as formas mais efetivas de cortar as emissões de carbono (Bloomberg)
  • A lenta reconstrução de Mariana cinco anos após a tragédia (Valor)
  • Braskem vai indenizar 9 mil imóveis em AL (Valor)
  • O clima, e não as eleições, vai  mover os mercados em breve, diz pioneira ESG (Bloomberg)
  • Um novo marco legal para o investimento em infraestrutura (Valor)
  • Nubank vai de queridinho a acusado de racismo após fala de cofundadora (Valor)
  • Gol enfrenta arbitragem de R$ 1,6 bi por operação com Smiles (Valor)