Dívida ESG: B3 busca captação externa com metas de diversidade

Compartilhar

A B3 começou hoje a fazer reuniões com investidores para uma emissão externa de dívida que conta com metas de diversidade, reforçando a tendência de títulos ESG que tem marcado a reabertura de mercado após as férias de verão no Hemisfério Norte.

Suzano e Movida já captaram US$ 500 milhões e US$ 300 milhões, respectivamente, nesta semana com sustainability-linked bonds.

Os títulos da bolsa terão vencimento intermediário, entre sete e dez anos e valores e juros devem ser definidos na próxima semana.

É a primeira vez que a B3 acessa o mercado desde 2010, quando ainda era BM&FBovespa e não tinha se fundido à Cetip.

A emissão da B3 terá dois compromissos ligados à diversidade, um da porta para dentro e outro para estimular maior equidade da porta para fora.

O primeiro é ter 35% de mulheres em cargos de liderança até dezembro de 2026. No fim do ano passado, esse patamar estava em 27,2% — abaixo dos 28% de 2019, apesar de ter mostrado uma evolução desde 2017, quando estava na casa dos 24.

O segundo compromisso é a criação de um índice de diversidade até o fim de 2024.

Trata-se do primeiro SLB emitido por uma bolsa de valores no mundo. É também a primeira emissão externa de uma empresa brasileira com metas exclusivamente sociais.

A Suzano foi a mercado com dois títulos com metas de diversidade de gênero na liderança, mas incluiu também um compromisso de economia de água.

“O setor de exchanges é um dos poucos que tem as questões sociais e de governança com materialidade muito superior às ambientais”, diz uma fonte próxima à operação.

A emissão conta com parecer de segunda opinião da Sustainalytics que considerou a meta de diversidade na gestão “ambiciosa” e a criação do índice de sustentabilidade “moderadamente ambiciosa”, principalmente pelo fato de que ainda não há detalhes sobre qual a metodologia que vai embasá-lo.

No documento, a Sustainalytics afirma que a B3 “planeja convidar todas as empresas listadas a responder um questionário sobre mulheres em cargos de liderança e diversidade étnica, que serão então comparados com dados demográficos nacionais brasileiros para garantir que estes reflitam o contexto nacional”.

A emissão é coordenada por Bradesco BBI, Citi, Itaú BBA, JP Morgan e MUFG.

Leia mais

Quer receber o Reset no seu e-mail? Inscreva-se

A melhor cobertura de negócios e finanças sustentáveis

Contribua com o Reset e ajude a construir a mudança.