Com aporte da Dexco (antiga Duratex), construtech Noah acelera edifícios de madeira

Investimento de R$ 15 milhões na startup é o segundo aporte da Dexco em madeira engenheirada em poucos dias

Compartilhar

A Dexco acaba de fechar um investimento de R$ 15 milhões na Noah, primeira construtech brasileira voltada a erguer edifícios totalmente de madeira, algo que já virou tendência em outros países e que agora começa a chegar ao Brasil. Os recursos saíram do bolso da DX Ventures, área de corporate venture da antiga Duratex, que assume uma fatia minoritária na startup.

“A entrada da Dexco é uma validação do nosso trabalho e, além de nos dar um sobrenome, nos dá capital para impulsionar o plano de negócios”, diz Nicolaos Theodorakis, CEO e fundador da Noah.

A madeira engenheirada, ou mass timber, usa camadas de madeira maciça sobrepostas para fazer pilares, vigas e lajes que substituem o aço e o concreto na estrutura de prédios de muitos andares, cortando drasticamente a emissão de gases de efeito-estufa do processo construtivo.

Outra vantagem é a eficiência. Enquanto no método de construção tradicional as lajes e vigas são feitas no canteiro de obras, com enorme desperdício de materiais, a madeira engenheirada tem um processo industrial e as peças chegam prontas.

A ideia da Noah é ter um processo verticalizado, cortando e montando as peças que serão entregues nos canteiros. Para isso, diz o CEO, os recursos da Dexco serão aplicados em novos talentos e na aquisição e desenvolvimento de tecnologias para design das peças. Seria um embrião para, dentro de dois anos, ter uma fábrica própria, o que deve demandar nova rodada de captação no futuro.

Conforme noticiou o Reset, desde maio a Noah está em processo de captação do primeiro fundo imobiliário com selo verde do país, com intenção de levantar até R$ 300 milhões e financiar os seus três primeiros projetos de edifícios comerciais em São Paulo.

Theodorakis diz que a empresa já está em condições de começar a construir os prédios hoje.

Por ora, enquanto não tem sua própria fábrica, a Noah terceiriza algumas etapas do seu processo construtivo. “Mas a ideia é ir verticalizando cada vez mais o processo e avançar na trilha de industrialização da construção.”

Este é o segundo aporte da área de corporate venture da Dexco no segmento da chamada madeira engenheirada em poucos dias. Na semana passada, a DX Ventures já havia destinado R$ 30 milhões para a Urbem.

Um spinoff da Amata, a Urbem quer se tornar a maior fabricante de mass timber em larga escala do país e está construindo uma fábrica no Paraná.

Na lógica da cadeia produtiva do setor, a Urbem será uma fornecedora de mass timber para a Noah, que usará o material para montar suas peças.

Leia mais

Quer receber o Reset no seu e-mail? Inscreva-se

A melhor cobertura de negócios e finanças sustentáveis

Contribua com o Reset e ajude a construir a mudança.